Buscar
  • Marta Rangel

Amamentação: um assunto sensível

A amamentação é um assunto sensível. Basta pesquisar um pouco sobre o assunto ou seguir algumas páginas aqui no Instagram. Não gosto de fundamentalismos em nada na vida. Defendo a liberdade de escolha e acredito que cada mãe deve saber o que é melhor para si e para o seu bebé.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a amamentação em exclusivo até aos 6 meses de idade do bebé. Muitas mães gostariam de fazê-lo, mas não têm essa possibilidade. Umas, por questões profissionais ou financeiras, vêem-se obrigadas a regressar ao trabalho após uma licença de maternidade de 4 meses para poderem receber a 100% (a propósito disso vejam a petição para alargar a licença de maternidade para 6 meses pagos a 100%). Outras mães, por sentirem dificuldades na amamentação ou por falta de apoio, acabam por desistir. Outras ainda, talvez, o façam por opção, por não se sentirem confortáveis ou por acreditarem que não é o melhor para elas.

Segundo o que tenho lido em alguns artigos e aprendido nos cursos de preparação para o parto e parentalidade, a amamentação é algo natural, mas pode ser desafiante. Há bebés que mamam durante poucos minutos, outros durante quase 1 hora. Há bebés que “pedem” para mamar constantemente, há outros que ficam saciados durante 2 ou 3 horas. Há bebés que são mais “preguiçosos” e “trapalhões” a agarrar a mama, há os que adormecem e há os que, quase instintivamente, sabem o que fazer.

Para a mãe, pode ser uma tarefa cansativa, stressante e até dolorosa. Os mamilos podem ficar doridos e duros. Os ductos (canais) de leite podem ficar entupidos e criar caroços. Em casos mais graves, pode até originar uma mastite (infeção bacteriana em que as mamas ficam quentes, vermelhas, inchadas, com ardor e até causar febre).



Extrair leite pode trazer alguns benefícios no alívio das mamas inchadas e doridas. Mas também pode estimular mais a produção de leite: o que pode ser bom - porque assegura a continuidade da amamentação - ou menos bom, se já houver uma grande produção de leite. No entanto, tem vantagens inegáveis: para facilitar a tarefa no regresso ao trabalho, para quando é necessário deslocarmo-nos a algum lado ou, simplesmente, para partilhar a tarefa da amamentação com o pai, avós, tios ou alguém próximo do bebé.



Sei que quero amamentar, idealmente, em exclusivo até aos 6 meses da Caetana. Mas não sei como vai ser a minha experiência, que dificuldades vou ter ou como vou sentir-me. Por isso, quero estar preparada para todas as eventualidades. E ter este kit super completo da @phillipsavent - com biberões, máquina de extração, esterilizador, etc - deixa-me muito mais descansada.

E com vocês, como foi ou está a ser a amamentação?🤱

O kit de amamentação foi oferecido pela Phillips Avent no âmbito de uma parceria com a 100% Bebé. A sessão fotográfica foi realizada em Março de 2021 pela minha amiga e consultora digital Ana Ferreira da Owl Consultoria Digital O cabelo e a maquilhagem são da autoria da @makebeauty.by.lara powered by Vanytime. Estava grávida de 32 semanas, agora estou de 34 <3

95 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Deseja adicionar um comentário?