Buscar
  • Marta Rangel

Berços co-sleeping são um bom investimento?

Olá, mamãs!

Já passaram três semanas desde que saí do Hospital e, finalmente, começo a sentir-me grávida e a focar-me neste "estado de graça" (nem tudo é maravilhoso, já sabemos, mas hoje falemos de coisas práticas :).



Como sou organizada e gosto de ir planeando (quase) tudo com tempo, comecei a fazer uma lista do que poderia precisar para o bebé. Para me inspirar (e orientar), pedi a várias amigas com filhos que me enviassem as várias listas que fizeram... e cada uma é maior do que a outra! :D

Vamos por partes. Por algumas opiniões que recolhi e testemunhos que li online, estou a ponderar seriamente apostar num berço co-sleeping. Tenho uma amiga que me empresta o dela, mas o meu quarto é tão pequeno que, a julgar pelas medidas que tirei, não vai caber lá. E acreditem que já ponderei todas as possibilidades no que diz respeito à disposição da mobília ou mesmo em abdicar de alguns móveis... mas nem assim. Por isso, restam-me duas possibilidades: comprar um berço co-sleeping mais pequeno, de forma a caber junto à minha cama ou desistir desta opção e comprar logo um berço estilo cama com grades (que os bebés costumam utilizar mais tarde). Mas estou muito indecisa... Por um lado, não sei se compensa fazer esse investimento para o bebé usar o co-sleeping apenas durante 6 meses (ou até aos 9/10 quilos)... Por outro, creio que tem inúmeras vantagens: está mesmo ali ao meu lado, ao alcance da mão, o que permite que não tenha de me levantar constantemente para amamentar, adormecê-lo ou, simplesmente, verificar se está tudo bem.

A julgar por um artigo que li no site Bebé Seguro, o melhor berço de co-sleeping do mercado é o Next to Me da Chicco. Tem um pormenor que eu adoro: rodas! O que permite transportá-lo para qualquer lado. Mas, com 69 centímetros de largura, não sei se caberia no meu quarto, ao lado da cama.

O SnuzPod3 é o segundo neste ranking e, com uma largura de 49 centímetros, já seria uma boa solução para o espaço que tenho disponível. A parte onde o bebé dorme é removível, mas, como não tem rodas, tem de ser transportada "à mão". Humm...

Em terceiro, vem o Kinderkraf Nest que tem a grande vantagem de ser mais barato, no entanto, ainda me parece um pouco grande. Tal como o Next to Me da Chicco, tem rodas, o que é um ponto a favor, para mim.

Em quarto lugar, na escolha do site, vem o Babybay Maxi. É mais estreito - o que me facilitaria a vida - e, depois de deixar de ser usado como berço, pode ser transformado numa mesa ou num banco. Gosto desta versatilidade! Só tem um senão, na minha opinião: não tem rodas.

O co-sleeping Bebé Confort (Maxi Cosi) Iora fecha o top 5. Traz o colchão incluído e um cesto de armazenamento para arrumação. Também tem uma largura menor, o que, para mim, podia ser uma boa opção. Mas não tem rodas...

Avaliando apenas as descrições, diria que os meus preferidos são o Next to Me da Chicco, o KInderkraft Nest e o SnuzPod3, mas confesso que não conheço as duas últimas marcas (e isso pode ser, obviamente, por ser uma mamã de primeira viagem e tudo ser novidade para mim :). Mas digam-me: vocês conhecem? Recomendam? Acham que um berço de co-sleeping é um bom investimento, mesmo que seja usado só durante 6 meses (ou um bocadinho mais)? Obrigada! <3

421 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Deseja adicionar um comentário?