Buscar
  • Marta Rangel

O que passa pela cabeça das futuras mães no terceiro trimestre?

O que é que passa pela cabeça de uma futura mãe durante o terceiro trimestre de gravidez? Li um artigo sobre este tema na What to Expect, que me fez refletir sobre o assunto e com o qual me identifiquei, por isso, partilho algumas ideias com vocês.



Além dos sintomas físicos, muitas vezes, temos um não mais acabar de pensamentos que até chegam a ser contraditórios. Se acham que só acontece convosco, desenganem-se: não estão sozinhas ;) Ora vejam alguns exemplos:


1) O bebé já nascia!

O segundo trimestre foi pacífico, já não tínhamos enjoos como no primeiro e ainda não estávamos tão pesadas... Mas o terceiro? Uff! O cansaço, o peso da barriga, as dores na lombar, o inchaço das pernas e pés, a falta de posição para dormir, a ciática ou a falta de ar são desafiantes para muitas mamãs! Por isso, se calhar, já passávamos à próxima fase.


2) Não nascia nada!

Vou ter a responsabilidade de cuidar de um bebé, de educar uma criança... Ainda não limpei nem arrumei tudo, falta-me o resto do enxoval... Se calhar, era melhor que demorasse mais um bocadinho a nascer para eu ter tempo de me preparar! :D


3) A vida nunca mais vai ser a mesma

A vida vai mudar. De uma maneira ou de outra. Seja para mães de primeira viagem seja para "repetentes". Há uma nova vida que chega, um novo mundo de possibilidades que se abrem... Mudam as rotinas, os horários, os hábitos... por vezes, as relações, as amizades. Nós mudamos. E tudo isto pode ter tanto de maravilhoso quanto de assustador, verdade?


4) Aproveita agora para descansar

Sim, sim. O tempo está a contar, há quartos para arrumar, malas de maternidade para fazer, burocracias para tratar e toda uma série de sintomas que, por vezes, nos impedem de dormir bem ou descansar. Já para não falar das insónias. Portanto... é mais fácil falar do que fazer ;)



5) Estou a fazer o ninho

É um síndroma real e comum a muitas fêmeas. Sim, neste aspecto - dizem os estudos - as mulheres não são diferentes dos animais. Por isso, o chamado "nesting", ou seja, fazer o ninho é um instinto natural que existe nos passarinhos, cadelas, gatas... e nos humanos :) Sabem aquele ímpeto de limpar a casa, organizar a roupa, etc, etc? Até quem nunca teve antes, parece que, no terceiro trimestre, passa a ter, pelo menos, um bocadinho. Da minha parte, já fiz seis máquinas de roupa em dois dias, lavei cortinados, mantas, edredões, passei a ferro (algo que raramente fazia), fiz a mala de maternidade pela segunda vez, organizei roupa em gavetas, fiz listas atrás de listas... Uff...


6) Hormonas (e neura) de grávida

Ok, estou cansada, desconfortável, não consigo dormir... e há dias/momentos em que (quase) tudo irrita! Parece que mesmo as mamãs mais zen também têm momentos destes. Faz parte! ;)


7) Será que vou ser uma boa mãe?

Será que vou ser capaz de cuidar de um bebé? De educar uma criança? Será que vou estar à altura dos desafios? Como vão ser as noites, os dias? Será que vou ter leite e conseguir amamentar? Como vou saber de que é que o meu bebé precisa? Como vou distinguir se está a chorar de frio, fome, fralda suja, cólicas? O melhor é tentar relaxar e não nos preocuparmos demasiado. Em teoria, pelo menos.


8) Adoro que te mexas! Às vezes.

Há poucas coisas mais surpreendentes e maravilhosas do que sentir uma vida a crescer dentro de nós. Como alguém, um dia, me disse: "É a única altura da tua vida em que terás dois corações a bater dentro de ti". Um bebé activo é, segundo os médicos, sinal de vitalidade, de conforto fetal, de bem-estar. Acho que me vou lembrar sempre da primeira vez que a Caetana mexeu e já gravei dezenas de vídeos da minha barriga. Mas, quando uma bebé grande e activa, se mexe durante quase todo o dia, numa barriga pequena, existem dores, desconforto, noites mal dormidas, falta de posição para estar sentada ou deitada... Portanto, às vezes, peço-lhe "Filha, por favor, sossega um bocadinho".Outras ouço música calma, meditações, faço festinhas na barriga... Resulta? Nem sempre. Mas tento.


9) Que venha quando tiver de vir

Nunca vai ser o momento perfeito: ou falta fazer qualquer coisa, ou está a chover ou a fazer sol. A verdade é que, mesmo com previsões dos médicos ou partos planeados, na realidade, não controlamos nada e os nossos bebés vão nascer quando eles quiserem. Que venham com saúde e encham as nossas vidas de amor! <3

Esta sessão fotográfica foi realizada em Março de 2021 pela minha amiga e consultora digital Ana Ferreira da Owl Consultoria Digital O cabelo e a maquilhagem são da autoria da @makebeauty.by.lara powered by Vanytime. Estava grávida de 32 semanas, agora estou de 37 <3

52 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Deseja adicionar um comentário?