Buscar
  • Marta Rangel

O texto que escrevi na véspera da Caetana nascer

A Caetana faz 6 meses. Escrevi este texto na véspera dela nascer, quando ainda estava dentro da minha barrig. Estava meio guardado, meio perdido, nas notas do meu telemóvel. E hoje, ao reler, faz tanto sentido ❤️


“Hoje é o último dia que te tenho assim, só para mim. Hoje é o último dia em que, juntas, somos uma só. A partir de amanhã serás do mundo. A partir de amanhã o teu coração vai passar a bater fora de mim. E talvez o meu bata também junto com o teu.

Estou à tua espera, meu amor. Estamos todos. Ainda não nasceste e parece inacreditável o que já passámos juntas. Coisas que só nós sabemos, só nós sentimos. Tentei tantas vezes proteger-te dos meus próprios medos e angústias. Mas tu sentes tudo, verdade? E eu sinto-te aí, sempre. Sei quando acordas e quando dormes. Adivinho quando tens fome. Sinto que ficas mais agitada quando também estou. E, a julgar pela forma como te mexes na minha barriga, meu Deus, filha, ninguém te vai parar. Pergunto-me como serás, a tua carinha, os teus olhos, o cabelo. Pergunto-me como virás ao mundo, o que vou sentir, o que te direi. Sei que vai ser uma enorme aventura. A maior da minha vida. Sei que nada será como antes. Nem mesmo eu. Sei que estarei sempre aqui para ti. Incondicionalmente.“

234 visualizações

Deseja adicionar um comentário?