top of page
Buscar
  • Foto do escritorMarta Rangel

#todaagentetemumahistoria

Quem o ouvisse, pela primeira vez, julgaria estar perante um pensamento a régua e esquadro. Como se as ideias estivessem muito bem arrumadas em folhas de Excel. Como se a vida fosse tão variável como um gráfico de barras.

Poucas vezes saía deste olhar racional e razoável. Quando procurávamos sentir-lhe o plano dos afectos, parecia que tudo se encaixava como nas histórias de príncipes e princesas que começam com “era uma vez” e terminam com “foram felizes para sempre”. Só saía da sua zona de conforto - assumidamente - para defender os seus. Aí vestia a pele do Cavaleiro de Ofir e, se preciso fosse, desembainhava a espada. Enfrentava quem tivesse de enfrentar. Deixava o raciocínio num canto do cérebro e todo ele era emoção.

Talvez ao descobrir-se tenha descoberto outro mundo. Um mundo em que zeros e uns não explicam tudo. Um mundo em que o racional nem sempre tem lógica. E a lógica nem sempre faz sentido. Um mundo que não tem só preto e branco - porque existem muitos tons, não só de cinzento.

Talvez ao querer descobrir mais sobre o funcionamento do cérebro tenha encontrado o coração. Esse ser vivo que, às vezes, parece querer ter autonomia para saltar do peito. O Carlos também saltou: para dentro de si próprio e para dentro de outros mundos dentro do Mundo. E aqui vieram ao de cima todos os seus tons - uns mais escuros outros mais coloridos. E aqui as gargalhadas misturaram-se com as lágrimas. A razão misturou-se com o coração. E, no meio deste aparente caos, estava ele, mais fora dele, mais dentro de si, mais inteiro, mais autêntico.

103 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Bình luận


Deseja adicionar um comentário?

bottom of page